UN Women/ONU Mulheres
Cristina Cipolla | ONU

UN Women, Nova York

A igualdade de gênero faz parte de todas as pautas da ONU e da UN Women (ONU Mulheres) da qual tive o prazer de conhecer pessoalmente em Nova York. Nenhum dosobjetivos propostos para alcançar metas globais podem ser validados sem igualdade de gênero.

Considerada a nova liderança global em prol das mulheres e meninas a UN Women (ONU Mulheres) órgão das Nações Unidas para a Igualdade de Gênero e o Empoderamento das Mulheres tem um papel de grande destaque no que se refere ao empoderamento das mulheres e meninas no mundo.

Quando estudamos as novas formas de liderança no século 21, liderança para conduzir o mundo para grandes e profundas transformações no campo da informação, do meio ambiente, da economia e da política…o papel das mulheres é fundamental, isso é reconhecido e afirmado pelos grandes “lideres” empresariais, acadêmicos e espirituais, que valorizam as características femininas e o empoderamento de mulheres e meninas como essenciais para essa necessária transição a um novo mundo… uma mulher empoderada, de acordo com inúmeras pesquisas e indicadores da ONU, tem o poder de mobilizar e impactar sua família, sua comunidade, e o poder de efetuar mudanças.

Mas igualdade não significa viver igual aos homens, significa celebrar essa polaridade elevando a energia feminina para nos expressarmos plenamente no mundo. Integrar a energia masculina e a feminina, de uma forma equilibrada, é a chave para desbloquear nosso potencial como seres humanos.

Criada em julho de 2010 pela Assembléia Geral da ONU, com apoio dos ativistas dos direitos das mulheres e dos direitos humanos, a ONU Mulheres tem como premissa fundamental lutar por uma vida livre de discriminação, violência, pobreza e, sobretudo, igualdade de gênero.

Michelle Bachelet, ex-Presidente do Chile (2006-2010), foi eleita a primeira Diretora-Executiva da UN Women. Como primeira Diretora, Bachelet imprimiu ao órgão uma política proativa, conferindo visibilidade a essa nova organização. Bachelet renunciou ao mandato em 2013, para concorrer novamente à presidência de seu país (foi eleita em dezembro de 2013). A sucessora da atual presidente chilena é Phumzile Mlambo-Ngcuka, ex-ministra sul-africana.

Em 2013, a ONU Mulheres inaugurou um escritório no Brasil, revelando o grau de importância que a organização confere ao País. A representante da ONU Mulheres em Brasília é Nadine Gasman.

No início de 2013, houve a primeira reunião na sede da UN Womenda qual participei para discutir o papel da mulher nas mídias sociais digitais e como a tecnologia da informação e comunicação (TIC) tem atuado no empoderamento feminino.Também foi discutido a questão da 57ª Comissão sobre o Status da Mulher; a proposta do #OrangeDay(Campanha que se tornou mundial para o fim da violência contra mulheres e meninas); e como usar as tecnologias da informação a favor dessas causas.

O Orange Day é uma campanha mundial lançada pela ONU pelo fim da violência contra as mulheres e meninas no mundo.  Ela não acontece apenas uma vez ao ano, no dia 25 de novembro (Dia Internacional para o fim da violência contra mulheres e meninas), mas a cada mês.

Usar a cor laranja é dizer NÃO à violência contra mulheres e meninas no mundo todo.

Em 25 de fevereiro de 2013, celebrei o  #OrangeDay na sede da UN Women/ONU Mulheres, em Nova York, com o grupo de mulheres que está à frente do departamento de comunicação da UN Women e que atua para a igualdade de gênero e o empoderamento das mulheres;

Empoderar mulheres e promover a igualdade de gênero nos campos sociais e da economia são a base dos Princípios de Empoderamento das Mulheres.

Cristina Cipolla

Fundadora, Mulheres Conectadas

_

UN Women / ONU Mulheres –

UN Women – http://www.unwomen.org/en

ONU Mulheres Brasil – http://www.onumulheres.org.br/

Translate »